Gino-canesten


Diz a senhora de voz colocada e pronúncia irrepreensível que, se estiver com uma infeção fúngica vaginal, cada dia conta. Admiro-lhe o epicurismo de seios firmes e ovários férteis, mas penso cá para com os meus botões que cada dia conta e deve contar para toda a gente, independentemente de género e aflição genital. Que heresia é imaginar Ricardo Reis, sentado à mesa imaginária de Pessoa, a atirar o #põequantoésnomínimoquefazes janela fora pelo simples facto de ser um agente do privilégio cisgénero com um historial microclínico impecável. Nem a(s) amante(s) de Ricardo Reis merecem tamanha desconsideração. Elas, que cumpriram a esperança média de vida da época sem sobressaltos íntimos de maior, tudo fizeram para ter o mesmo desejo de satisfação plena e imediata como as restantes. Por isso, minha senhora, permita-lhes o obséquio. Permita-ME esse direito: de adormecer todos os dias com a certeza frágil que amanhã é que vai ser. Ou pelo menos que vai ser qualquer coisa.