O strap-on de António Costa


Quem julgava que ia passar o 25 de Abril deste ano sem ganhar um travo azedo na boca, acabou de ter uma surpresa desagradável. Em vésperas do aniversário da Revolução dos Cravos, soube-se que os partidos da maioria (CDS e PSD), juntamente com o principal partido da oposição (PS), prepararam uma proposta de projecto de lei que previa impor aos órgãos de comunicação social novas regras para a cobertura jornalística das vindouras eleições legislativas. A principal novidade prendia-se com a obrigatoriedade da apresentação prévia de um “plano de cobertura jornalística”, sujeito a aprovação prévia de uma comissão mista. O incumprimento seria punido por multas que vão dos 5 mil aos 50 mil euros. Foda-se. Não podiam ser mais facínoras se estivessem a tentar de propósito.

Não nos iludamos: o único propósito desta proposta, aliás bem transparente, seria de efectivamente reduzir o risco de algum partido fora do arco da governabilidade poder obter uma maior atenção por parte dos media, e talvez uma fatia maior do eleitorado. Valha-nos Deus, ainda poderia dar a ideia aos Portugueses de que há mais partidos para além do laranjinha, o da rosinha e o das feiras.

No meio disto, foi o vizinho El País que colocou as coisas nos termos mais claros: “Portugal celebra 40 anos de liberdade de expressão, mas parece que não cumprirá os 41”.

Face à contestação generalizada e à ameaça de boicote por parte dos órgãos de comunicação, a celeridade com que todas as partes envolvidas vieram dar o dito por não dito (apenas igualada pela celeridade com que prepararam o documento, num caso inédito de concertação) e demarcarem-se de responsabilidades é bem reveladora da má consciência e cinismo com que a manobra foi, pela calada, preparada.

Esta tentativa revela que estão com medo: valha-nos isso.

Uma vez que plataformas online como a nossa são agora abrangidas pela lei, considere-se este artigo, então, o plano de cobertura mediática do Ministério do Sexy, que por este meio submetemos à consideração da comissão mista:

É nossa intenção fazer uma aturada cobertura das eleições legislativas, com especial enfoque em artigos de opinião acintosa, mesmo que debilmente sustentados pelos factos. Visaremos em especial os três partidos responsáveis pela redacção deste projecto de lei, que prometemos denegrir com todas as nossas forças. Inventaremos ocorrências se for necessário; produziremos fotomontagens difamatórias de Costa, Passos e Portas a participarem em orgias sexuais vestidos de militantes da Mocidade Portuguesa.

Na foto: o strap-on usado por António Costa? Não confirmamos nem desmentimos.

O strap-on usado por António Costa? Não confirmamos nem desmentimos. (Bushytails)

Pede-se encarecidamente aos exmos. deputados do PS, PSD e CDS; a Pedro Passos Coelho, António Costa e Paulo Portas; aos membros da comissão mista CNE/ERC: por favor imprimam este documento e enfiem-no no cu.

Categories