Cordes, homem sexual


Tudo começou com uma piada foleira do Rui Sinel de Cordes acerca do massacre em Orlando. Estaria tentado a deixar esta passar se a piada fosse muito, mas mesmo muito engraçada. Não é. Nem de longe. Tenho dúvidas que seja uma piada, sequer. Também não é, como o RSdC tentou sugerir, uma questão de “demasiado cedo”. A piada não teria piada daqui a mil anos.

Je Suis Cordes

Um facto pouco conhecido: o RSdC foi amamentado por um furão até aos 13 anos.

Como “humorista”, a imagem de marca do RSdC é ser “politicamente incorrecto” e um adepto do “humor negro”, daí não ser inteiramente imprevisível que tenha atacado este assunto. Não há vacas sagradas nem temas tabu para este homem, carago!

Mas interessa-me pouco contribuir para a discussão, que já vai longa, sobre os limites do humor. Pessoalmente, a regra que o Chris Rock criou serve-me bem: “Punch up, not down”. Ora, ao escolher os seus alvos entre os mais vulneráveis da sociedade (e caralhos me fodam se episódios como este não confirmam, preto no branco, que os LGBT o são), o RSdC está claramente a socar para baixo. O pretexto do “politicamente incorrecto” é simplesmente a sua forma invertebrada de exprimir o que realmente pensa sem ter que assumir o preconceito.

Ao fazer piadas às custas dos LGBT, o RSdC não está a ser corajoso, não arrisca merda nenhuma. Se isso é ser politicamente incorrecto, vou ali e já venho. O RSdC não é o bully do recreio — ele é o lacaio que se ri das vítimas. E que diz para bater com mais força.

O que aconteceu em Orlando não é um incidente isolado; e mais, não acontece num vácuo — é, isso sim, sintomático de uma cultura que ainda não resolveu os seus complexos em relação à orientação sexual dos outros.

Sempre que o reduzimos a uma piada fácil; sempre que nos rimos quando outros o fazem; ou quando simplesmente encolhemos os ombros — estamos a ser cúmplices de uma cultura de intolerância que serve de detonador a tragédias como a de Orlando.

Agora, o RSdC anunciou que, por virtude dos ataques ferozes de que foi alvo por causa desta trapalhada, irá abandonar o Facebook. Quem haveria de imaginar que um tipo tão irreverente como o Cordes haveria de ser tão sensivelzinho?