Tradutor politiquês-português


A actualidade política é tramada. A exposição prolongada ao ciclo noticioso de 24h pode provocar, no espectador impreparado, cólicas renais, embolias cerebrais e outros “ais” que tais. A proliferação de comentadores políticos é semelhante à microbiana: em doses pequenas aguenta-se bem, mas descontrolada pode obrigar à amputação de algum membro¹.

Quiz bónus: qual destes comentadores é o Vasco Pulido Valente?

Quiz bónus: qual destes comentadores é o Vasco Pulido Valente?

Por isso, honrando o nosso compromisso com o serviço público e a higiene mental, apresentamos um breve glossário que incide alguma luz sobre alguns dos termos mais comuns no comentário político actual.

Estabilidade — Estado de inércia perfeita, espécie de nirvana eleitoral em que um único partido político se eterniza no poder. É a condição imperativa para apaziguar os mercados financeiros, aos quais o conceito de alternância democrática baralha completamente o zen.

Sentido de Estado — Sentimento de pureza patriótica acessível a poucos, nos quais se inclui Paulo Portas e o actual Presidente da República. Consta que, na etapa seguinte de ascensão espiritual, o Prof. Cavaco Silva converter-se-á num ser de pura luz com a forma de uma esfera armilar, brilhando em tons de verde e encarnado e libertando um coro angelical de todos os antigos reis e cantores românticos de Portugal. Sinónimos: ver Estabilidade.

Golpe de Estado — Designação que descreve uma solução governativa, prevista pela Constituição, que inclua forças políticas exteriores às que tradicionalmente formam o Arco da Governação, ameaçando a sacra Estabilidade.

Partido de protesto — Partido político a que, por decreto da Presidência da República, não é reconhecido o direito de formar governo. As funções que lhe são destinadas são, normalmente, a organização de piquetes e pintura de murais.

Esquerda caviar — Eleitorado maioritariamente composto por licenciados urbanos, cujo faustoso nível de vida lhes permite ter uma dieta composta exclusivamente de ovas de esturjão, em vez das criancinhas que lhes eram típicas. Cientistas² apontam para uma correlação directa entre esta questão dietária e a ilegitimidade para emitir opiniões políticas.

Social-Democracia — “Aquilo Cujo Nome Não Deve Ser Pronunciado”

Despesismo — Políticas orçamentais que beneficiam coisas espúrias como pensões, apoios à saúde e à educação, em detrimento dos investimentos que são estruturais para a retoma económica: parcerias público-privadas, alienação de património público e resgate de bancos privados. Sinónimos: ver Social-Democracia.

Eurocéptico — Todo aquele que discorda de algum ponto em particular do actual rumo político da União Europeia, que tem a toda a pluralidade ideológica que cabe no Partido Popular Europeu.

Ideologia — Termo pejorativo que descreve um sistema de convicções políticas diferente daquele que o comentador/jornalista/político/opinador subscreve.

Comentador político — Aspirante à Presidência da República em campanha.


¹ No caso dos primeiros, geralmente é uma lobotomia.

² Por “cientistas” leia-se “definitivamente-não-cientistas”, ou “analistas políticos”.

Imagem de destaque da autoria de Gyik Toma.