A Evolução das Consolas de Videojogos no Século XX


Este artigo foi escrito com a colaboração de Beatriz Nipo, Diana Alves e Miguel Peixoto para um trabalho da Unidade Curricular de História da Comunicação do curso de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho.

Imagem de destaque da autoria de Evan-Amos.


Introdução

A primeira consola de videojogos lançada comercialmente, a Magnavox Odyssey criada por Ralph Baer, foi apresentada ao público em agosto de 1972; desde então, ao longo das oito gerações de consolas de videojogos, surgiram inúmeras máquinas de diversos fabricantes. O conceito do que é uma consola não mudou muito deste então — uma máquina para ligar à televisão que nos permite jogar jogos eletrónicos — mas as máquinas em si foram mudando consideravelmente, tal como os formatos físicos que contêm os jogos.

Pretende-se com este artigo dar a conhecer a história geral das primeiras cinco gerações de consolas de videojogos, que tiveram lugar durante o século passado, com um foco em particular nas consolas domésticas e nos desenvolvimentos de maior impacto no meio. Apesar da sexta geração ter surgido no final do século XX, o seu impacto deu-se maioritariamente no século seguinte, daí que se decidiu deixá-la de parte.

Para além da pesquisa feita para este artigo, foram também efetuadas quatro entrevistas com o intuito de recolher testemunhos sobre a utilização e opinião sobre consolas. As entrevistas foram feitas a Diogo Barros e Gonçalo Fernandes, a Rodrigo Gama, a Ivan Barroso e a Francisco Costa Leite e serão citadas ao longo do artigo, sendo os entrevistados identificados pelo seu sobrenome.

Agradecimentos

Agradecemos a Diogo Barros, Francisco Costa Leite, Gonçalo Fernandes, Ivan Barroso e Rodrigo Gama pelo tempo que disponibilizaram para serem entrevistados no âmbito deste artigo.


Índice:

A Primeira Geração
A Segunda Geração
A Terceira Geração
A Quarta Geração
A Quinta Geração
Conclusão
Entrevistas
Referências Bibliográficas
Vídeos de Interesse

Categorias