Parece piada, mas não é


Parece insólito, mas se calhar o mais estranho é que não tenha acontecido antes: a artista plástica Joana Vasconcelos, por via da sua fundação e em parceria com a Polícia de Segurança Pública, trouxe a público o seu mais recente bibelô. Desta feita, pegou num boné de polícia e, feita Mulher-Aranha neo-pindérica, enredou-o numa teia de rendas, como as que são a sua imagem de marca registada. Não está confirmado, mas fala-se que o próximo passo poderá ser decorar um cacetete de aço com um naperon de bilros.

É a confirmação, na forma mais bizarra possível, de algo que toda a gente já sabia: Joana Vasconcelos é oficialmente a artista do regime. Ainda em 2012 Mário Moura escreveu um texto que, parece-me, resume perfeitamente a natureza desta relação. Com esta iniciativa altamente simbólica fica, em definitivo, firmado o pacto.

 

Tags